"Alguns sentimentos, experiências, fatos marcantes, pessoas, amizades, conquistas, sons, versos, poemas, imagens, lugares, idéias, ideais, sonhos, paixões, anseios, fôlego... tudo isso transformado em palavra."
[Importante] Caro leitor, sinta-se a vontade em divulgar os textos aqui postados, referenciá-los e etc, só não se esqueça de mencionar a fonte, o autor e o link para o blog. Todos os textos são registrados. Obrigado!

sábado, 29 de dezembro de 2007

Diante da afronta, a melhor opção não é fugir!

Leia I Reis 19:1-9.

Elias havia acabado de passar por uma experiência grandiosa. Sem dúvida, um dos maiores milagres da Bíblia! Veja como foi esse episódio:

O povo de Israel acreditava em Deus, mas sob pressão do rei Acabe e sua esposa Jezabel, adorava a Baal. Elias confrontou todo aquele sistema, desafiou os profetas de Baal, sob a autoridade do Senhor! Construiu um altar e o Senhor mandou fogo do céu, respondendo a oração de Elias.

O saldo desse episódio espetacular foi à volta de todo o povo a adoração ao Deus Vivo, Único e Verdadeiro! Os profetas de Baal foram presos e mortos.

Jezabel, a rainha, mandou dizer a Elias: “Que os deuses me castiguem com todo o rigor, se amanhã nesta hora eu não fizer com a sua vida o que você fez com a deles (os 450 profetas de Baal)”.

Mas, como nem tudo é perfeito... Elias fugiu. Teve medo e fugiu. Uma “retirada rápida e precipitada”, diz o dicionário. Em resumo: o profeta fugiu! Pessoas que fogem, geralmente não consultam ninguém. Os fugitivos não costumam consultar a Deus. O medo se apresenta e fogem.

Por quê Elias fugiu? A Bíblia fala que ele teve medo. Mas ele não acabou de enfrentar toda a tirania de Acabe? Ele não se expôs a toda a nação? Ele era um perante os 450 profetas de Baal, que poderiam fazer dele picadinho, não é mesmo? Ele estava do lado certo da história: conhecia a Deus, que sempre lhe respondia. Ele não estava sozinho. Então, porquê Elias fugiu?

Por quê nós fugimos? Não precisa ser uma fuga física, mudar de cidade, país, não... Assim como Elias, fugimos da presença e vontade de Deus!

- O Senhor não poderia livrar Elias de toda e qualquer cilada de Jezabel?
- O Senhor não poderia guardar a vida dele?
- O Senhor já não havia provado o Seu poder no episódio com os profetas de Baal?

Quando fugimos, tiramos o crédito dos grandes feitos do Senhor nas nossas vidas! Esquecemos que Ele já nos livrou de grandes quedas; esquecemos do Seu cuidado e amor inquestionáveis. Pensamos apenas em nós mesmos, como se pudéssemos resolver alguma coisa... Quem foge da presença de Deus...

... se esconde no deserto (v.4):
Quando Deus nos leva para o deserto é uma coisa, pois sabemos que Ele vai nos tratar. Mas quando vamos para o deserto por vontade própria... misericórdia!

... não quer companhia; quer estar só (v.3b):
Estar sozinho é ruim, imagine num deserto? Mas quem foge não quer dar satisfação a ninguém, quer estar só.

... faz orações perigosas (v.4b):
Elias pediu ao Senhor: “Tira a minha vida”. A que ponto pode chegar alguém, quando se afasta da presença do Senhor!

Ainda bem que o Senhor não se esquece de nós, mesmo quando cometemos a loucura de não confiar Nele; mesmo quando duvidamos que Ele poderá nos livrar da próxima afronta, seja ela infinitamente maior que a anterior.

O Senhor permite todo o nosso desvario e manda um anjo, um mensageiro do alto, para nos tocar e dizer: “Levante-se”. O Senhor nos alimenta no deserto, fortalece e dá novo ânimo! Ele nos conduz até Horebe, o monte de Deus! Ele nos conduz de volta a Sua Presença, a Sua vontade!

Bom seria se não tivéssemos fugido...

Quando vier a afronta, não dê ouvidos a voz de qualquer um (Jezabel, Acabe...). Ouça a voz de Deus. A voz que você ouve é a voz que você escolhe! Ouça a voz e escolha a vontade de Deus!

domingo, 2 de dezembro de 2007

O Deus da eterna provisão

Leia Levítico 25:1-24.

O Senhor instituiu aos israelitas que durante seis anos poderiam cultivar a terra, mas no sétimo ano haveria descanso. O povo de Deus não poderia cultivar a terra no sétimo ano, chamado ano sabático, vivendo apenas do que ela mesma produzisse.

Todos, sem exceção, se sustentariam do que a terra produzisse no ano de descanso, dedicado ao Senhor. Seja escravo, livre, pobre ou rico... parece que o Senhor decretou que todos dependeriam exclusivamente Dele nesse período!

Mas, como sempre, veio a dúvida: O que iremos comer no sétimo ano se não plantarmos, nem fizermos a colheita? Ninguém teve dúvida da mesa farta quando colocavam a mão no arado, e pelas próprias forças, cultivavam o solo, vendo sempre o resultado. Mas quando Deus inverte o quadro e precisamos aprender a confiar Nele, a dúvida sempre aparece... Porquê será?

Abaixo listo algumas possibilidades nada remotas:

1. É mais fácil confiar no meu braço visível do que no braço invisível de Deus.
2. Se tenho a terra, a semente, porquê devo esperar? O ser humano sempre quer “ganhar tempo” e decide pelo que é palpável/concreto.
3. Quando as coisas fogem do nosso controle, a dúvida é a primeira que se apresenta: Será que Deus pode dar um jeito?
4. Como crer no sustento se não estou vendo a terra arada e as sementes brotando? É a velha síndrome de Tomé...

Mas as promessas do Senhor são sempre mais valiosas do que qualquer dúvida! Imagine não semear a terra e ela produzir sustento suficiente para três anos? Promessa do Senhor! Foi Ele quem disse e basta!

No sexto ano, pré-ano sabático, o Senhor envia a benção e a terra produz muito mais do que nos anos em que era cultivada! E, ainda, no oitavo ano, pós-ano sabático, estaremos comendo dos frutos da benção do Senhor sobre a terra! E continua no nono ano... Aleluia!

Mas para que todas essas bênçãos venham sobre nós, precisamos atentar para duas coisas:

1. Praticar os decretos: O Senhor não gastou tempo a toa para nos mostrar Seus preceitos e nós não praticarmos. Lembre-se: a prática sempre agradou ao coração do Pai e foi decisiva para que as janelas dos céus se abrissem, em todo o curso da história.

2. Obediência: A obediência nos eleva a níveis espirituais nunca antes experimentados! É assunto tão sério, que o Senhor faz questão de repetir inúmeras vezes essa palavra no Antigo Testamento. A obediência está ligada a nossa consciência da soberania de Deus! É loucura errar essa questão!

Creia no Deus da eterna provisão! Tudo e todos, em qualquer esfera, falham, mas o Deus Vivo permanece infalível! Você ainda precisa de outro motivo para começar a crer?

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Conhecer ou ouvir falar?

“E conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará.” [João 8:32]


“Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva será a sua saída; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serodia que rega a terra.” [Oséias 6:3]


A grande necessidade de toda e qualquer geração é de um verdadeiro conhecimento de Deus. Sem conhecimento de Deus tudo perde o significado; nossas vidas perdem o vigor, a força, o sentido, e a Igreja cai num estado de apatia. O resultado é a morte espiritual.


Não podemos perder a visão da beleza do Senhor, o nosso primeiro amor! “Contra você, porém, tenho isto: você abandonou o seu primeiro amor.” [Apocalipse 2:4 – NVI]


Precisamos ir mais devagar, parar... e contemplar a beleza de Jesus! A correria do dia-a-dia faz-nos focalizar o alvo errado, dar importância demasiada à coisas que ofuscam a nossa vivência com o Senhor!


Temos duas certezas, pelo menos: 1) Encontraremos dificuldades na caminhada cristã e 2) Jesus estará conosco em todas essas dificuldades. Não há mistério algum na primeira afirmativa, mas muitos se esquecem totalmente da segunda!


Precisamos buscar experiências com Deus, urgentemente! Somos chamados à Sua Presença todo dia; o Senhor quer ouvir a nossa voz, o sussurro mais humilde, a voz mais ofegante, o choro incontido... não importa, há portas escancaradas sinalizando que podemos entrar na Presença do Todo-Poderoso!


Devemos entender que, por mais que busquemos, só seremos achados se o Senhor nos encontrar. Mas, ainda bem que Ele está a procura de verdadeiros adoradores! Aleluia!


Precisamos viver em devoção ao Senhor! Não venha à Igreja simplesmente por vir. Há pessoas demais nas Igrejas que crêem coisas certas a respeito de Deus, mas perderam totalmente a devoção.


Não seja indiferente ao Senhor, morno, fingindo adorar... Não seja um cristão “mais ou menos”, pois do contrário estarás perdendo o seu tempo na Casa de Deus.


Adoração indiferente, morna, parte o coração de Deus; não é adoração verdadeira! Muitos crêem em Deus, mas com irreverência cumprimentam-nO uma hora por semana!


Precisamos viver em santidade! Nossas igrejas não precisam encher-se de mais gente, mas que as pessoas que nelas estão encham-se do conhecimento de Deus! Assim nossas Igrejas não terão espaço para comportar as pessoas que estarão buscando o Deus que conhecemos!


´Conhecer a Deus´ precisa ser o nosso diferencial. Conhecendo a Sua Palavra, vamos conhecê-lO, e seremos santificados! Viveremos, então, o pano novo e não o remendo!


Quer conhecer a Deus? Conheça a Sua Palavra!


quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Os “poucos” que fazem a diferença (Apc 3:1-6)

Sardes foi a quinta Igreja a receber a carta apocalíptica. Era a antiga capital da Lídia, famosa pelas suas riquezas e luxo. Conforme a tradição, Sardes foi a primeira cidade dessa região a receber o evangelho, sob a pregação do apóstolo João, a primeira a desviar-se da fé e uma das primeiras a cair em ruínas. A Igreja de Sardes é censurada pela sua falta de comprometimento vital; tinha um nome de vida, mas estava realmente morta. Perante o texto, podemos refletir sobre os seguintes pontos:

01- Conheço as suas obras (v.1b) > “Exteriormente, parecia viva e ativa, tinha uma reputação de sucesso e espiritualidade. É possível que tivesse uma forma impressionante de adoração, mas não o verdadeiro poder e retidão no Espírito Santo. Jesus, no entanto, via os seus corações” (Bíblia de Estudo Pentecostal).

Uma das coisas que mais nos esquecemos no trato com a obra de Deus, é que o próprio Deus conhece as nossas obras. Ele não entregou em nossas mãos o arado, para que cuidássemos da seara, e fechou os olhos, “não se importando” com o que iria ser feito. Ele conhece as nossas obras sim. Não só o que fazemos da porta da Igreja para dentro, mas o lado de fora também Lhe interessa.

Não apenas o que fazemos com as nossas mãos, mas as nossas expressões, palavras e pensamentos. Nada passa desapercebido diante dos olhos de Deus. Ele conhece as nossas obras. Não somos salvos por obras, mas elas são o termômetro da nossa fé.

02- Esteja atento (v.2) > Há coisas que estão “prontas para morrer”. Esteja atento a elas. Há coisas em nossas vidas que estão capengando, apodrecendo, deixadas de lado, sem cuidados. Normalmente passamos desapercebidos diante delas, e o tempo voa. Mais ainda há uma chance!

O Senhor não nos alerta quando o caso já está perdido, quando não resta mais nada a fazer... Ele vem antes e nos desperta, pois ainda há uma chance! Podemos providenciar a cura, o remédio... Podemos correr para os pés do Senhor e rogar que restaure o que está caído; dê novo ânimo ao que desfaleceu em nosso interior. Ainda há tempo de se pôr de pé e lavar as vestes. Ainda há tempo, mas não muito tempo. Estejamos atentos para não perdê-lo!

03- Exercite a memória, você não está vazio (v.3) > Recebemos e ouvimos tantas preciosidades e revelações de Deus, e por não colocarmos em prática na hora, acabam-se esquecidas e empoeiradas. Precisamos vasculhar os nossos “guardados” espirituais; o baú de mensagens “que não são para mim”; o bloco de anotações de pregações que na hora “não falaram ao meu coração” e tantas coisas mais.

Não estamos vazios, mas poderíamos estar mais cheios. Já recebemos e ouvimos, falta-nos obedecer e arrepender-se (v.3a).

04- Faça parte dos “poucos” (v.4) > Não queira estar entre os muitos que estão “prontos para morrer”. Esteja entre os poucos, que não contaminaram as suas vestes.

Agora, entenda uma coisa, os “poucos” têm responsabilidade para com os “muitos”. Estamos falando do interior de uma Igreja, então eu e você precisamos fortalecer aqueles que estão a beira do abismo, fazer o nosso papel como agentes de Cristo nesta Terra.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Cuidado: Estão te observando!

Certa vez um famoso Pastor foi convidado para pregar em uma Igreja longe de sua casa. Ao chegar ao local, foi bem recebido e aguardou o momento de ser chamado ao púlpito para iniciar sua mensagem.
No devido tempo, o Pastor subiu ao púlpito para pregar, e o tema escolhido foi INTEGRIDADE. Após a pregação, depois de cumprimentar os membros daquela Igreja, o Pastor chamou um táxi e foi embora para sua casa. Ao chegar, pagou a corrida e o motorista do táxi lhe deu troco a mais... O Pastor, ao receber aquele dinheiro, viu que algo estava errado, e devolveu a diferença que não era dele.
Nesse momento o motorista lhe disse: "Que mensagem abençoada, pastor! Eu estava na Igreja onde o senhor pregou..."

O texto acima é fictício, mas a mensagem comunicada é bem real em nossas vidas! Em todos os momentos, em cada esquina, e em cada passo nos deparamos com a “tão grande nuvem de testemunhas” que o autor aos Hebreus registrou (12:1). Por mais que o mundo não queira saber de Deus e tente, sem sucesso, preencher esse vazio com outras coisas, isso não quer dizer que não está de olhos bem abertos sobre a Igreja de Cristo!

Fique esperto(a), estão nos olhando, nos reparando, nos apontando...

O mesmo autor nos dá uma dica infalível, para que passemos irrepreensíveis diante de tantas testemunhas. Ele diz: “mantenha os olhos fixos em Jesus, Autor e Consumador da nossa Fé” (12:2).

Pronto, resumindo a receita, não olhe para o mundo, olhe para Cristo!

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

A Resposta

Uma criança pergunta ao pai: “Porque não posso brincar com meus amiguinhos à noite?”; “Porque tenho que ficar em casa e estudar?”; “Não posso ir àquela festa? Mas todos vão estar lá?”; “Porque não posso atravessar a rua sozinho?”... O pai conhece todas as respostas e quer dizê-las, mas seu amado filho está tão atento aos porquês e não deixa-o se pronunciar! O pai também conhece todas as perguntas; ele já as fez quando pequeno...

Ás vezes a resposta não vem com palavras ou frases decoradas que já conhecemos... Ás vezes a resposta vem do silêncio amoroso do pai.

Como o filho questiona o pai, assim somos nós com o nosso Pai celestial. O pai sabe que brincar à noite pode ser perigoso; que é melhor estudar; que sair com más companhias não é bom negócio e que para atravessar a rua é preciso muita atenção... Mas seu filho amado não quer ouvir essas respostas e sim as que lhe favorecem...

Não é diferente quando questionamos nosso Pai; Ele tem a resposta certa no momento certo, mas nem sempre queremos esperar o Seu agir. É mais fácil agir por nossa conta...

O ser humano tem as suas próprias respostas, mas quase sempre não coincidem com as do Pai! Os pensamentos do Senhor “não se podem contar” (Sl 40:5), e “nenhum deles pode ser impedido”(Jó 42:2)! Ele sabe o nosso começo e fim; assentar e levantar...”De longe entendes o nosso pensamento”(Sl 139:2).

Sem que haja um piscar de olhos, Ele já sabe! Ele sabe o que pensamos, como agimos e o que falamos! A nossa vida é um livro aberto diante do Pai; Ele mesmo folheia e conhece cada palavra, frase, capítulo, página... Para Ele não há mistério, escuridão ou algo que esteja em oculto! Ele é o Autor desse livro; o Autor da nossa vida e fé...“É o que fala ao sol, e ele não sai, e sela as estrelas”(Jó 9:7).

O nosso Deus não dorme e não se cansa! Não se atrasa; o tempo é mero detalhe para o Todo-Poderoso! Ele é o Senhor do Tempo e da Vida; a Majestade Santa! Por acaso a vida é mais importante que o Senhor da Vida? “O Senhor deu e tomou; bendito seja o Senhor!” (Jó 1:21).

Nada foge ao Seu alcance e controle; nada escapa aos “olhos como chama de fogo”(Apc 19:12)! Os problemas e dificuldades são para Ele como nada... Cabe a nós aprendermos a confiar mais no Fiel e Verdadeiro!

As respostas podem até estar na nossa frente, mas não vemos... nossos olhos parecem estar vendados! Mas basta um passo para vermos tudo, não com os nossos olhos, mas com os olhos espirituais! Esse é o passo em direção a vontade do Pai; vontade que não esbarra na nossa vontade, mas leva-nos a experimentar o Plano Melhor...

Não é atalho! É o Caminho, a Verdade e a Vida! Se o silêncio de Deus incomoda, ore um pouco mais! Ele está trabalhando por você! Falta-nos sensibilidade para entender o Seu agir... Só Ele tem todas as respostas!

Pode pedir, pode clamar... Ele responde, sempre!

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Deixe o Rei reinar em sua vida

O Senhor Deus não nos coloca em projetos falidos. O Senhor Deus não investe em quem Ele não irá usar. Ele é incapaz de enganar-nos com meias palavras. Não é de Sua natureza; Ele é a Verdade!

O que Deus tem colocado em nossas mãos é precioso! Não procede de homens, mas de Deus! Se a origem fosse meramente humana, há muito teria findado... Mas foi Deus quem confiou a nós o “levar a semente”, e o crescimento vem somente Dele.

Precisamos deixá-lO agir... sair da frente das situações de nossa vida e deixar que Ele diga o próximo passo, que Ele dite as regras e assuma de uma vez por todas o controle.

Tire suas mãos, não imponha seus conceitos e não caminhe sem a certeza da Presença de Deus em sua vida! O mar pode não se abrir, você pode ser devorado pelos leões, a fornalha pode estar aquecida demais e ao mergulhar sete vezes, a cura pode não chegar... A decisão não é minha, não é sua, não é do seu pastor ou líder... a última palavra é sempre do Eterno e Amado das nossas almas!

Não está na hora de deixar Deus tomar as rédeas da sua vida? Deixe-o reinar! Vá para o banco de trás e deixe que Ele dirija sua vida... Sem dúvida alguma, você não encontrará melhor Guia, nem melhores mãos!

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Permanecer para sobreviver

Eu e você, na figura de ramos, devemos estar ligados na videira verdadeira, que é Jesus. Não há vida fora da Videira; não há esperança longe da cruz... A independência de Deus leva á morte espiritual.

Se estamos na videira, o nosso maior desafio é permanecer e dar fruto. Pois “todo o ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda, para que dê mais fruto ainda”, disse Jesus.

Dura coisa é permanecer e aceitar a poda como necessária para que venhamos frutificar mais e mais!

Aceitar a correção e não abrir mão do primeiro amor; aceitar o silêncio e não abrir mão da esperança; passar pelo vale para depois experimentar o alto da montanha...

Se permanecemos em Cristo, Ele permanecerá em nós e poderemos viver a profundidade do Seu amor!

"Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem e lhes será concedido." João 15:7

A palavra de ordem é essa: PERMANECER. Estás disposto(a)?

domingo, 2 de setembro de 2007

Dia a dia com Deus

O maior testemunho que um cristão pode dar é ter sua vida regrada na Palavra de Deus, praticando-a em todos os momentos.

As perseguições, lutas, dificuldades, desarmonias, embaraços, tristezas e dissabores fazem parte da nossa vida cristã (ninguém nos prometeu um mar de rosas...) e são ótimas oportunidades para darmos testemunho do que realmente temos vivido em Cristo.

A maior parte dos momentos em que podemos/devemos testemunhar são as horas marcadas por um silêncio desafiador. Quando você está em silêncio em seu trabalho (não se assuste), esse é o exato momento em que há alguém lhe observando, esperando para ver como será sua próxima ação, se você vai murmurar, reclamar... ou apenas entoar baixinho uma canção que fale do amor de Deus!

Cada momento do seu dia é valioso demais e deve ser usado para a honra e gloria do Senhor! E se você estiver ligado, o Espírito Santo vai lhe ensinar as melhores estratégias para alcançar vidas que anseiam por conhecer a Deus!

Ah... Mas ainda tem uma outra forma de testemunhar: você pode usar palavras! É isso mesmo... nunca pensou? Então comece! Um “Deus te abençoe” aqui, um “Jesus te ama” ali, e assim você vai colocando Deus nas suas palavras... Foi Jesus quem disse: “Mas convençam-se de uma vez de que não devem preocupar-se com o que dirão... pois eu lhes darei palavras e sabedoria...” (Lucas 21:15). Tome posse!

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Deus não tem filhos prediletos

A caminhada cristã é cheia de surpresas. Não há servo fiel que sempre acerte, como também não há servo infiel que não tenha a chance de acertar... Todos somos rigorosamente iguais.

Já ouvi numa pregação que “Deus não tem filhos prediletos”, e ainda concordo com isso! Deus nos trata de igual modo, com seu amor e graça infinitos. Deus também tem uma vontade específica para cada um de nós!

É claro que o filho que se achega mais recebe atenção especial do amoroso Pai; mas aquele filho distante também é muito amado...

Somos naturais de “oliveira brava”, mas o Senhor nos enxertou na “oliveira cultivada” e verdadeira, que é Jesus (Romanos 11:24). Os ramos naturais, devido a incredulidade, foram cortados. O Senhor nos enxertou e permanecemos pela fé na oliveira verdadeira.

Não temos do que nos orgulhar, precisamos temer! O Senhor não poupou os ramos naturais, então o que será de nós, filhos por adoção?

Não há o que apontar. Não há o que falar. Há que se estender a mão e ajudar o ramo que caiu, pois o Senhor é capaz de enxertá-lo outra vez (Romanos 11:23)!

Aprendamos a cada dia a humildade e devoção ao Senhor. Que os nossos olhos vejam nitidamente que nada somos. Que nossos braços sejam a extensão dos braços amorosos do Pai. Em todos os momentos.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

O exemplo do perseguidor

O apóstolo Paulo estava a caminho de Jerusalém, e mesmo sendo avisado do que aconteceria, não desistiu da viagem. Ele estava pronto “não apenas para ser amarrado, mas também para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus” (Atos 21:13b).

Após sua transformação, Paulo nunca deixou passar uma oportunidade sequer de falar do amor de Deus! Fez inúmeras viagens e o Espírito Santo o avisava que, em todas as cidades, prisões e sofrimentos lhe esperavam (Atos 20:23).

“Todavia, não me importo, nem considero a minha vida de valor algum...” (v.24). Paulo só queria completar o ministério que o Senhor Jesus lhe confiou.

Esse desejo de seguir adiante, não decepcionar, cumprir com excelência o que foi proposto... precisa estar vivo em nossos corações! Fomos chamados pelo decreto de Deus e não há tempo a perder. Não há mais o que esperar, pois já fomos revestidos de poder. O que falta é agir!

Precisamos estar unidos e fortalecidos em Cristo, pois só Ele nos adestra e nos guia! Um cego não pode guiar outro cego. Um desanimado não pode ajudar quem precisa de ânimo. Ninguém oferece o que não tem. Precisamos firmar nossos pés na Rocha (Cristo), só assim estaremos seguros para sempre!

“Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho...” (Atos 20:28a).

Preparemos nossas redes com diligência, pois é o momento de voltar á pesca!

domingo, 26 de agosto de 2007

A mulher samaritana, eu e você...

Você conhece a história da mulher samaritana. Jesus foi ao seu encontro junto à fonte de Jacó, e na hora exata lhe ofereceu a água viva. A mulher não entendeu, mas Jesus conhecia todos os seus feitos...

“Vejo que és profeta”, disse a mulher, pois Jesus sabia de coisas que ela fazia questão de esconder. A intenção de Jesus não era apontá-la em meio a multidão, e nem humilhá-la, mas sim propor uma mudança de vida! E foi o que aconteceu... Jesus revelou ser o Messias e os olhos da mulher se abriram. Num misto de perplexidade, espanto e admiração ela corre... Deixa para trás o cântaro com a água perecível, mas mergulha na água viva, que é Jesus!

Não há como esconder de Deus as nossas atitudes, pois Ele “conhece todos os nossos feitos”. As nossas atitudes podem ou não glorificar a Deus, dependendo do nosso grau de compromisso com Ele.

Às vezes Deus nos confronta com base em nossas atitudes, pois a sua vontade é que acertemos. O seu cuidado para conosco é extremo... Jesus foi ao encontro da samaritana, e não o contrário. Ele sonda os nossos corações e olha além das nossas palavras e ações.

A nossa necessidade hoje é viver uma vida que agrade a Deus, que o faça sorrir!

A mulher samaritana, ao ser confrontada por Jesus, não hesitou em deixar para trás sua vida de erros (cântaro com a água perecível) e viver a nova vida apresentada pelo Messias (água viva).
Antes de apontarmos a Verdade para outros, precisamos vivê-la intensamente. Antes de oferecer a água viva, precisamos estar submersos em Sua profundidade. Será que estamos dispostos?

Leia João 4 : 26 a 29 ; 39 a 42

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Graça e segunda chance

Falar da graça de Deus é falar de uma “segunda chance”, uma nova oportunidade em Cristo Jesus de nos aproximarmos de Deus. E foi exatamente isso que Deus permitiu ao homem através da morte de Cristo! Eis aí a nossa redenção, a nossa “segunda chance”. A porta agora está aberta, podemos (em Cristo) nos achegar a Deus!

Imagine a seguinte situação: Você está desesperado, correndo numa estrada sem saber pra onde ir. Daí você ouve uma voz que quebra todo aquele ambiente de tensão... É Deus quem diz: “Esta estrada está tortuosa demais, cheia de buracos e sobressaltos... Faça a volta no próximo retorno! Eu permito que voltes a mim...” Ah... mais que depressa você volta. Não há como resistir ao apelo do amor de Deus! Você também tem a opção de seguir viagem e se distanciar cada vez mais Dele...

A graça é de graça. É presente dado por Deus sem cobrar nada! Somos salvos pela graça, mediante a fé em Cristo Jesus. Você não precisou mover uma palha para que Deus resolvesse te salvar. Ele simplesmente, por amor, planejou o nosso escape, a nossa “segunda chance”!

Obras? Não... nenhuma delas, por maiores que sejam, por mais tocantes que sejam, não poderiam salvar-nos! Você pode estar no púlpito, na recepção, no ministério de louvor (oooh....), sentado... ou mesmo consolidando vidas... a graça de Deus te alcança aí onde você está!
Então esqueça o cargo, o status, a posição, a imagem que as pessoas possam fazer de você... lembre-se da graça!

E fique atento(a), não perca as “segundas chances” de Deus para sua vida!

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Palavras a um amigo, num momento de dor

Em nossa vida acontecem coisas com muita rapidez, o tempo passa e nem percebemos. O mundo gira numa velocidade estrondosa... Os anos realmente estão sendo abreviados!

Há situações na nossa vida que não compreendemos o porquê de estarmos passando por elas... Há momentos que paramos para analisar as coisas e não conseguimos entender... Nesses momentos pensamos que estamos sós em meio a multidão que nos cerca. Temos essa capacidade de pensar que estamos enfrentando tudo sozinhos... Mas quando olhamos para nossos braços e vemos que não temos forças para prosseguir, que sozinhos não vamos vencer tudo e todos... Daí vem a tristeza, as lágrimas, o desânimo...
Ouvimos falar de tantas promessas, tantas bênçãos, tantas conquistas... E como ficamos diante de tanta luta? Como entender, se cremos num Deus Poderoso, que pode tudo resolver? A mente parece fervilhar de tantos questionamentos...

Realmente ´ouvimos´ falar de um Deus Todo-Poderoso, mas dizer que O conhecemos, é engano! Tudo o que vemos e ouvimos de um Deus que pode curar, limpar e libertar, não passa de uma mera história, se realmente não vivemos tudo isso! Com certeza o que nos falta é crer mais em Deus!
Deus se compromete conosco quando depositamos nossa confiança Nele! E Ele não tem compromisso algum com quem duvida do Seu poder... Ele só garante vida a quem está debaixo de suas asas! Ele só garante vitória a quem está disposto a lutar! E o mais impressionante de tudo isso, é que Ele luta junto conosco! Não nos abandona no meio do combate, mas vence conosco!
Se estiveres na fornalha, Ele está lá contigo! Se estiveres na cova dos leões, Ele está lá contigo e te guarda! Se estiveres no ventre do peixe, Ele estará lá contigo e te dará o livramento!

Precisamos confiar e viver as promessas que Deus nos entregou! Enterrar o talento não é a solução! É mais honroso trabalhar por ele, fazê-lo crescer e dar frutos...

Deus não escolhe os ´capacitados´ e 'entendidos', mas prefere trabalhar com os menos desprovidos, tal qual eu e você...

Demonstrar o amor a cada um de nós, Ele faz com todo o prazer! Cabe a cada um perceber, agradecer e aproveitar! Não se permita estar na guerra, sem tirar o máximo proveito dela! Não se permita errar e permanecer no erro, demonstrando que nada aprendeu... Deus nos dá todas as chances de acerto do mundo! Quem as desperdiça somos nós! Quão ingratos somos...

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Milagre e graça: todo dia, todo instante...

Há um milagre em nossas vidas que não pode passar despercebido. Se levantamos, lavamos o rosto, tomamos um bom banho, nos arrumamos, preparamos um café, ganhamos a rua rumo ao trabalho, passamos pelos imprevistos de um trânsito irresponsável e o dia corre na mesma rotina... Voltamos para casa exautos, mais sãos e salvos...

Há graça abundante para nós todos os dias! É como se Deus renovasse o nosso estoque de graça a cada noite de sono, para que no dia seguinte possamos estar de pé e vencer...

Imagine a sua vida sem a graça de Deus, sem Sua mão acolhedora... Simplesmente não dá para imaginar, dá um “branco”em nossa mente, pois toda a nossa existência sempre dependeu Dele e o inverso nunca aconteceu!

Quando entendemos a nossa insignificância, encontramos o real significado das nossas vidas: DEUS! Não temos vontade própria (nossa vontade é a de Deus); não vivemos para nós mesmos; somos eternos dependentes Dele; todo o sentido de nossas vidas, começo, meio e fim se definem em Deus.... O primeiríssimo lugar é sempre Dele!

Não se sinta pressionado, sinta-se amado! Deus não é carrasco, Deus é Amor! Toda essa narrativa é para que venhamos a entender que Deus nos enche de cuidados... Como um pai que segura firme a mão do filho, olha para um lado... outro lado, e atravessa a movimentada rua de nossas vidas.