"Alguns sentimentos, experiências, fatos marcantes, pessoas, amizades, conquistas, sons, versos, poemas, imagens, lugares, idéias, ideais, sonhos, paixões, anseios, fôlego... tudo isso transformado em palavra."
[Importante] Caro leitor, sinta-se a vontade em divulgar os textos aqui postados, referenciá-los e etc, só não se esqueça de mencionar a fonte, o autor e o link para o blog. Todos os textos são registrados. Obrigado!

Outras reflexões

[Nota] As mensagens abaixo são trechos preciosos de alguns livros/artigos que li, que marcaram a minha vida em algum momento. A lista tende a crescer, visto que a caminhada ainda não terminou.

---

“O que mais importa não é o fato que eu conheço a Deus, mas, sim, algo muito maior que está implícito neste conhecimento – ele me conhece. Eu estou gravado nas palmas de suas mãos. Nunca sou esquecido por ele. Ele me conhece como meu melhor amigo, alguém que me ama. Não há um único momento em que ele tira os olhos de mim ou que se distrai e me esquece; portanto, não há um momento sequer em que ele deixa de cuidar de mim. Há um indizível conforto em conhecer este Deus que está constantemente consciente de mim em amor e cuidando de mim para o meu bem.”

(“O conhecimento de Deus ao longo do ano”, J. I. Packer, Ed. Ultimato)

---

Quando Cristo entra nas “cidades Fatigadas” do mundo, fica no cruzamento da avenida Esgotada com a rua Exausta e clama: “Se alguém tem sede, que venha a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre. E isso disse ele do Espírito, que haviam de receber os que nele cressem...” (João 7:37-39).

“Venham a mim!” Não “venha a minha igreja” ou “ venha ao meu sistema”, mas “venha a mim!”

Venha a mim e beba. Não tomar uns golinhos. Não apenas experimente. É hora de beber com vontade. Gargantas sedentas engolem água. Almas sedentas engolem Cristo. (...) Encher-se de uma vez anualmente ou ingestões mensais não funcionarão. Você está caminhando no Vale da Morte, e aquela miragem que você vê não é uma miragem, mas, na verdade, o rio que você precisa. Mergulhe e beba.

E, ao fazer isso, veja o que acontece: “rios de água viva correrão do seu ventre”.

“Quem tem sede venha”, por Max Lucado (pág.64)

---

“O pecado não vê o mundo com Deus nele. Onde podemos pensar no pecado como enganos ou passos errados, Deus vê como uma atitude sem Deus que leva a atitudes sem Deus. O infectado pelo pecado dá a Deus o mesmo respeito que alunos intermediários dão a um professor substituto – reconhecem, mas não levam a sério.

Não estar centrado em Deus nos leva a nos centrarmos em nós mesmos. Pagamos um alto preço pela obsessão por nós mesmos.

A contaminação da pessoa leva a corrupção do povo. Como o pastor puritano Joseph Alleine escreveu: “Ó, homem miserável, em que monstro deformado o pecado lhe transformou! Deus fez você ‘pouco abaixo dos anjos’; o pecado o tem feito pouco melhor que os demônios”.

Extraia a Deus; espere o caos terreno e, muito pior, espere a miséria eterna.”

“Quem tem sede venha”, por Max Lucado (pags. 32-33)

---

“Quanta verdade especulativa eu aceito, que não exerce qualquer influência controladora em meus princípios e motivos.”

“A própria pressão e a atividade da vida exterior têm empanado a minha comunhão com Aquele para quem esses mesmos serviços são feitos. Quantas vezes minhas devoções são formais e apressadas, ou perturbadas por pensamentos e planos para o dia! E pecados, muitas vezes confessados e lamentados, têm mantido seu poder sobre mim."

"Quem me dera um batismo de fogo que consumisse minhas escórias! Quem me dera um coração totalmente para Cristo!"

"Diário", de Ashbel Green Simonton (1833-1867), missionário pioneiro da Igreja Presbiteriana do Brasil (Ultimato Março-Abril, 2009)

---

“Eu tento impedir o uso daquela frase tola que as pessoas costumam dizer a respeito dEle: ‘Estou pronto a aceitar Jesus como um grande e digno mestre, mas não aceito sua pretensão de ser Deus’. Não devemos dizer isso. Alguém que fosse simplesmente um homem e dissesse o tipo de coisa que Jesus disse não seria um grande e digno mestre. Seria um lunático — igual ao homem louco que afirma ser ‘Napoleão’ — ou o diabo.

É preciso fazer uma escolha. Ou esse Homem era, e continua sendo, o Filho de Deus, ou era um louco ou algo pior. Você pode fazê-Lo calar, supondo ser Ele um tolo; pode cuspir nEle e matá-Lo, porque O vê como um demônio; ou você pode cair aos pés dEle e chamá-Lo de Senhor e Deus.

Entretanto, não digamos tolices complacentes como, por exemplo, que Ele era somente humano e um grande mestre. Ele não nos deu liberdade para tal coisa. Ele não pretendia fazê-lo”.

C. S. Lewis — autor britânico que escreveu o livro O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa.

---

“Conselheiros podem confortar você na tempestade, mas você precisa de um Deus que possa acalmar a tempestade. Amigos podem segurar-lhe a mão em seu leito de morte, mas você precisa de um Yahweh que venceu a sepultura. Filósofos podem debater o significado da vida, mas você precisa de um Senhor que possa declarar o sentido da vida. Você precisa de um Yahweh.”

“(...) você precisa de um Deus que, enquanto você está adormecido, possa vir na quietude da noite e tocar você com a ternura de uma nevada em abril. Você precisa de um Yahweh.”

"Aliviando a Bagagem", Max Lucado (págs.19-20)

---

“É dentro do nosso sofrimento, e nunca fora dele, que Jesus entra em nossa tristeza, toma-nos pela mão, puxa-nos gentilmente fazendo-nos ficar de pé e nos convida a dançar. E descobrimos o caminho da oração, como o salmista: “Converteste o meu pranto em dança” (Salmo 30:11), porque, no âmago da nossa tristeza, encontramos a graça de Deus".

“Se nos voltarmos para Deus, sem nos rebelarmos contra nossa ferida, permitimos que Ele a transforme em bem ainda maior. E deixamos que outros se unam a nós e descubram isso conosco”.

“Conforme formos levando a Deus nossas feridas – honestamente, e não superficialmente – algo de mudança em nossa vida pode começar a acontecer".

"Descobrimos que Deus é aquele que nos chama para a cura. Percebemos que toda dança de celebração deve entrelaçar pesar e benção num mesmo passo alegre”.

“Transforma meu pranto em Dança”, Henri Nouwen (págs.27-30)

---

"O ativismo provém da incredulidade que insiste em que Deus não pode operar ou agir, e quer substituir a suposta morosidade ou inércia de Deus por nossas atividades.

Mas deveríamos saber que o que fazemos para ajudar, servir e ministrar não tem o poder de criar nada sem Deus, mas é a nossa resposta ao que Deus já está criando."

“Transforma meu pranto em Dança”, Henri Nouwen

---

"Muitos de nós somos tentados a pensar que, se sofremos, a única coisa importante é o alívio da dor. Queremos escapar a qualquer custo. Mas quando aprendemos a mover-nos através do sofrimento, em lugar de tentar evita-lo, vamos aceita-lo de modo diferente. Estaremos dispostos a deixa-lo ensinar-nos. Começaremos, até mesmo, a perceber como Deus pode usa-lo.

O sofrimento deixa de ser aborrecimento ou maldição de que temos de fugir sem poupar esforços, para tornar-se um caminho para uma realização mais profunda.

Basicamente, lamentar significa enfrentar o que nos fere na presença daquele que pode curar."

“Transforma meu pranto em Dança”, Henri Nouwen

---

"Como está a sua audição? Você ouve os servos que Deus envia? Você ouve a consciência que Deus desperta? E a sua visão? Você ainda vê pessoas? Ou vê apenas suas funções? Vê pessoas que precisam de você ou vê pessoas abaixo de você?

A história de Davi e Bate-Seba é mais uma história de poder do que uma história de luxúria. Uma história de um homem que subiu alto demais para seu próprio bem. Um homem que precisava ouviar essas palavras: "Desça antes que você caia".

"O orgulho vem antes da destruição; o espírito altivo, antes da queda" (Provérbios 16:18).

Deve ser por isso que Deus odeia a arrogância. Ele detesta ver seus filhos caírem; detesta ver seus Davis seduzirem e suas Bate-Sebas serem vitimadas."

"Derrubando Golias", Max Lucado.

---

"Muitos clamam a Deus com o intuito de adquirir riquezas e evitar prejuízos, pela felicidade temporal e coisas semelhantes. Raramente alguém clama pelo próprio Deus. Assim, é fácil ao homem desejar alguma coisa de Deus e não desejar o próprio Deus, como se o que ele dá pudesse ser mais gratificante do que ele mesmo (...).

Nada é mais prazeroso, mais belo, mais doce do que Deus! (...) Deus nos criou para ele. Inquieto é o nosso coração até que chegue a descansar Nele!"

Santo Agostinho

---

"Ao amar aquele que não ama, você tem um vislumbre daquilo que Deus faz por você. Ao deixar a luz da frente acesa para o filho pródigo, ao fazer o que é certo mesmo tendo feito o errado, ao amar o fraco e o doente, você faz o que Deus faz a cada instante. Cumprir o pacto é sua inscrição na escola de pós-graduação de Deus. Quando você ama os mentirosos, os trapaceiros e os que partem seu coração, você não está fazendo o que Deus fez por nós? Preste atenção em suas brigas e tome nota. Deus o convida a entender o amor Dele.

Ele também quer que você o demonstre (...). Demonstre o amor resistente. Encarne a fidelidade. (...) Abrace-o. Quem sabe? Alguém pode contar sua história de lealdade para ilustrar a lealdade de Deus?

"Derrubando Golias", Max Lucado.

---

"Dois tipos de pensamentos constantemente disputam sua atenção. Um diz: "Sim, você pode". O outro diz: "Não, você não pode". Um diz: "Deus irá ajudá-lo". O outro mente: "Deus o abandonou". Um fala a linguagem do céu; o outro engana no vernáculo dos jebuseus. Um proclama os poderes de Deus; o outro lista os seus fracassos. Um quer colocá-lo para cima; o outro procura puxá-lo para baixo.

E aqui está a grande notícia: você escolhe a voz que ouve.

Por que ouvir os zombadores? Por que prestar atenção na voz deles?

Por que dar ouvidos aos cérebros de amendoim e aos escarnecedores quando você pode, com os mesmos ouvidos, dar atenção á voz de Deus?"

"Derrubando Golias", Max Lucado.

---

"O que Davi sabia que não sabemos? Do que ele se lembrou que nós esquecemos? Em uma frase, poderia ser o seguinte: O presente de Deus é a Sua Presença.

Seu maior presente é Ele mesmo. O pôr-do-sol tira-nos o fôlego. O azul do Caribe acalma nosso coração. Recém-nascidos levam-nos ás lágrimas.

O amor para toda a vida embeleza nossa vida. Mas leve tudo isso embora - prive-nos do pôr-do-sol, de oceanos, de bebês murmurando e de corações moles - e deixe-nos no deserto do Saara, e ainda teremos razão para dançar na areia. Por quê? Porque Deus está conosco.

Isso deve ser o que Davi sabia. E isso deve ser o que Deus quer que saibamos. Nunca estamos sozinhos. Nunca."

"Derrubando Golias", Max Lucado.

---

"Cada filho de Deus tem sua própria pedra Urim e Tumim... uma consciência livre de ofensas, um coração purificado no sangue de Cristo, uma natureza espiritual que está impregnada e cheia do Espírito Santo de Deus...

Você está tendo dificuldades em seu caminho?

Vá até Deus com sua pergunta; receba a direção vinda da luz do sorriso de Deus ou da nuvem de sua resposta negativa... fique sozinho, onde as luzes e sombras da terra não possam interferir, onde a perturbação da vontade própria não perturbe, onde as opniões humanas não consigam alcançar - ... espere ali, em silêncio e esperançoso, ainda que tudo ao redor insista para que uma decisão ou ação imediata seja tomada - a vontade de Deus ficará clara; e você terá... uma nova concepção de Deus, [e] uma percepção mais profunda de sua natureza."

F.B. Meyer - citado em "Derrubando Golias", Max Lucado.

---

"Jesus chorou. Pedro chorou. Os convertidos de Éfeso choraram sobre o apóstolo, cuja face nunca mais veriam. Cristo está ao lado de todo aquele que chora, dizendo: "Chore, meu filho; chore, pois eu chorei".

As lágrimas aliviam a cabeça quente, como um belo banho de chuva. As lágrimas descarregam a insuportável agonia do coração, assim como o transbordar diminui a pressão da enchente contra a barragem. As lágrimas são materiais com os quais o céu tece seu arco-íris mais brilhante"."

F.B. Meyer - via "Derrubando Golias", Max Lucado.